Como reduzir custos com infraestrutura de TI

Como reduzir custos com infraestrutura de TI

Gere economia sem prejudicar o desempenho das suas operações

Analistas de infraestrutura, bem como demais profissionais responsáveis por garantir o aproveitamento dos ativos tecnológicos, assumem um desafio diário: apoiar as operações da empresa dentro de um orçamento limitante.

A pressão para reduzir custos com os equipamentos e serviços que compõem uma rede corporativa é frequente.

Ao mesmo tempo, não são poucos os investimentos necessários para preservar a competitividade das organizações no mercado atual. Atualizações constantes de sistemas e processos, somadas à crescente obsolescência dos dispositivos, dificultam a tarefa de balancear eficiência com economia.

Se você está nessa situação e precisa aumentar a rentabilidade da sua infraestrutura de TI, chegou no lugar certo. Nós vamos mostrar como é possível promover cortes de gastos sem prejudicar a performance do parque de máquinas.

Em que consiste a sua infraestrutura de TI

Antes de darmos início à discussão, leve em conta a definição de infraestrutura de TI elaborada pela Gartner:

O sistema de hardware, software, instalações e componentes de serviço que suportam a entrega de sistemas de negócios e processos habilitados por TI.

A partir disso, podemos entender que tal infraestrutura funciona como um organismo vivo, interligado por diferentes partes com atribuições específicas. Quando uma não está em pleno funcionamento, o processo acaba prejudicado como todo. Os resultados da empresa são negativamente impactados.

Mas você tem interesse no impacto positivo que a sua área pode propiciar à empresa, transformando-a em um diferencial estratégico. Portanto, não pode permitir que a verba destinada à TI escoe através de escolhas equivocadas.

Como reduzir custos com infraestrutura de TI

Em primeiro lugar, é preciso destacar que a redução de custos não está necessariamente atrelada ao barateamento ou interrupção de atividades no parque de máquinas. A proposta, por aqui, envolve otimizar a utilização desses recursos para que não haja desperdício de dinheiro.

A sua empresa tem alguma ideia de quanto gasta com uma estação de trabalho, incluindo todos os equipamentos, programas e processos essenciais para que cada funcionário exerça sua função? Tente calcular o valor aproximado e entenderá por que é inaceitável deixar um ativo mal alocado.

A fim de evitar que erros do tipo aconteçam, sempre ressaltamos a importância de promover uma gestão de ativos de TI. A seguir, selecionamos alguns pontos da respectiva prática que lhe ajudarão a focar investimentos.

1º passo: Mapeie a sua infraestrutura de TI

Após assimilar o conceito de infraestrutura de TI, está na hora de mapear ambiente computacional que lhe cerca. Conservar um inventário de hardware e software é, de fato, essencial para entender onde o orçamento da empresa está sendo consumido.

Busque relacionar quais são os ativos existentes, quais especificações e configurações eles carregam, para qual usuário foram destinados, etc.

Assim você conseguirá obter uma verdadeira perspectiva sobre a rede interna, no intuito de gerenciá-la da melhor forma.

Dá para evitar, por exemplo, que aquisições sejam feitas para um setor enquanto há equipamentos ociosos em outros locais da empresa. Ao invés de abrir um novo pedido de compra, bastaria remanejar componentes e máquinas internamente sem custos adicionais.

2º passo: Promova análises de desempenho

Acompanhar constantemente a performance dos componentes de hardware é uma maneira de antever prováveis complicações. Ou seja, você estará apto a identificar comportamentos problemáticos e atuar com manutenções preventivas antes que o caos se propague.

Para ilustrar, podemos pensar em um processador que opera na sua capacidade máxima repetidamente. Cedo ou tarde, a peça terminará danificada por sobrecarga. A empresa perderá um equipamento e o colaborador perderá tempo com uma estação de trabalho comprometida.

A análise de desempenho lhe ajuda a avaliar a necessidade de upgrades no parque de TI para que o quadro acima não se concretize.

3º passo: Regularize os softwares instalados no parque

Ao longo dos últimos anos, fabricantes de software têm intensificado a verificação de irregularidades no mercado brasileiro. Eventualmente, você receberá a visita de um fornecedor e – se não estiver com as cláusulas contratuais em dia – sofrerá penalidades.

A presença de softwares piratas pode render multas de até 10 vezes o valor do produto. Considere o preço de uma licença Windows, Oracle, SAP, Adobe… Dessa forma, é imprescindível que haja controle sobre todos os programas que são instalados na rede corporativa. Nada de fazer vista grossa para irregularidades!

Gerenciar licenças de software também vai assegurar que a sua equipe não se desespere correndo atrás de papeladas quando o solicitação de auditoria chegar. Com a documentação organizada e entregue dentro do prazo, a empresa ganhará até mesmo margem para negociação junto ao fornecedor.

4º passo: Aplique as medidas de segurança necessárias

A navegação de internet descuidada ou maliciosa, por parte dos colaboradores, é uma potencial ameaça para a rede corporativa. Caso sua empresa ainda não aplique as medidas de proteção necessárias, saiba que a integridade de todo o ambiente pode ser comprometida.

Indisponibilidades sistêmicas por vírus que se espalham no parque de máquinas geram dupla despesa. Inicialmente, haverá o custo exigido para consertar as máquinas prejudicadas (no cenário de sequestro de informações, acrescente o desembolso do resgate). Sem falar que os funcionários ficarão improdutivos durante esse período.

Bloquear sites e conteúdos classificados como impróprios é um jeito de coibir violações à política de segurança da organização.

5º passo: Monitore o uso da infraestrutura de TI

Por fim, o último elemento na nossa equação para reduzir custos com a infraestrutura de TI não é nenhum mistério: verifique se os passos anteriores estão sendo respeitados.

Monitorar o ciclo de vida dos seus ativos contribui para que nenhuma movimentação no parque de máquinas passe batida. Ficará mais fácil de identificar oportunidades de melhoria e condutas nocivas.

Você será capaz de descobrir se o programa contratado está de fato sendo aproveitado pelo usuário em questão, ou se existem licenças de software excedentes. Em suma, manter os dados do seu parque atualizados e disponíveis para consulta propicia inúmeros insights para sua tomadas de decisão.

Resumindo…

Muito dinheiro é desperdiçado em decorrência de gastos redundantes e falta de compliance na infraestrutura de TI. Para impedir que esses canos continuem vazando e drenem o orçamento por completo, preocupe-se em começar uma gestão eficiente de ativos com o passo a passo da NetEye.

O segredo está em como você manuseia as informações que dizem respeito ao seu parque de máquinas. Afinal, só conseguimos gerenciar aquilo que está sob o nosso conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*