O espião que te ama

O espião que te ama

Mocinho e vilão podem se confundir na vida real

É o NetEye um programa espião? Essa pergunta surge estimulada pelas principais funcionalidades dos Módulos Monitoramento e Produtividade:

  • Visualizar e/ou fotografar as telas dos funcionários em tempo real;
  • Enviar mensagens e comandos às estações;
  • Controlar a sessão de forma remota;
  • Interromper processos em execução;
  • Escolher usuários, estações e setores a serem monitorados;
  • Monitorar mesmo fora da rede da empresa;
  • Gerar gráficos e detalhes dos acessos, mostrando tempos de acesso para cada palavra chave;
  • Gerar relatórios de softwares mais utilizados, usuários ou setores que mais utilizam determinado software, usuários com determinado programa aberto, entre diversos outros;

Entendemos que estas funcionalidades, extremamente necessárias para criar um ambiente produtivo e justo, possam ser vistas com um “espião instalado no sistema.”

O espião que me amava

Foi o 10º filme de James Bond, lançado em 1977 , o terceiro estrelado por Roger Moore. O sucesso do filme ajudou a definir o legado de um dos personagens mais queridos do cinema. O agente secreto inglês  007 e uma sexy espiã russa (Barbara Bach) tinham a missão evitar a destruição de Nova York e Moscou com armas nucleares.

Nesse filme aparece pela primeira vez o gigante capanga de vilão “Jaws” (Dentes de Aço), que em uma cena de outro filme da franquia parte um cabo de aço do Bondinho do Pão de Açúcar com os dentes.

Quem é o espião e quem é o vilão?

Nos filmes, os mocinhos e os vilões são melhor definidos do que na vida real. Em comum, lá e aqui, os espiões podem ajudar a evitar catástrofes.

Em um mundo ideal, tudo o que é conduzido em uma empresa estaria relacionado ao negócio, mas sabemos que nem sempre é o caso. Assim como o telefone, o carro da empresa e a fotocopiadora são usados ​​para assuntos não relacionados a negócios, a internet, as redes sociais e os mensageiros eletrônicos tendem a ser usados em exagero quando não há controle.

O Brasil é o terceiro país no ranking de quem passa mais tempo na Internet. Brasileiros gastam, em média, 9 horas navegando na web, só nas redes sociais são mais de 3 horas diárias.

O brasileiro é terceiro povo que mais fica na internet no mundo — Foto: Divulgação/ We Are Social

Esse comportamento, apesar de parecer inocente, é o verdadeiro vilão da produtividade, e aqui não falamos sob a suposta visão do “sistema opressor” que quer transformar pessoas em máquinas produtivas, mas da manutenção de uma rotina injusta de trabalho, onde uns perdem tempo enquanto outros ficam sobrecarregados.

Você precisa de um parceiro

Sem um sistema que gere métricas de uso e monitore de forma a possibilitar que o gestor elimine exageros, perdem todos:

  • A empresa improdutiva perde competitividade;
  • A equipe fica desestimulada pelo desequilíbrio entre os que vestem a camiseta e os que enrolam;
  • O gestor, sem dados para análise, cobra a todos igualmente tornando o clima mais tenso;
  • Ameaças à segurança na rede corporativa devido a acessos sem controle;
  • Repercussões jurídicas quando material censurável ou perigoso é introduzido no ambiente de negócios.

Somos entusiastas da gestão do tempo e dos recursos, principalmente para que sobrem momentos para curtir a família, criar, planejar, tanto que desenvolvemos este material com dicas de uso do tempo e produtividade. Você pode baixá-lo gratuitamente.

Vale lembrar que 2019 chega com clima de retomada da economia e empreendimentos sem controle, sem métricas e improdutivos não surfam nessa onda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*